Total de visualizações de página

quinta-feira, 26 de abril de 2012

EL VÍBORA




 Se ontem tivemos uma boa notícia com a chegada de mais um álbum do genial Nestablo Neto, hoje a nova é péssima, pois faleceu no dia 24 de abril último, Josep María Berenguer, o criador da lendária revista espanhola El Víbora.
Pra ser sincero não conheço muito sobre Berenguer, senão o que está descrito nas wickipédias da vida , mas sempre tirei o chapéu para ele, pela sua ousadia de publicar uma revista de HQs que de certo modo vão na contramão da história.
A primeira vez que folheei uma El Víbora foi no início dos 80, numa das visitas que fiz a São Paulo. Confesso que fiquei um tanto escandalizado com aquele conteúdo erótico e violento, eu estava acostumado com histórias da Marvel e DC, no máximo uma Heavy Metal ou algo do Crumb, mas ali eu vi que era possível fazer quadrinhos sem as amarras do pseudo bom senso. Contudo não pensei mais na revista até me mudar de novo para Sampa e criar o Zé Gatão como forma de dar vazão às coisas que me sufocavam, foi com publicações como El Víbora, Caniballe e Frigidaire que me senti a vontade para criar meus quadrinhos sem me preocupar em agradar ninguém. Paguei o preço por isto? Certamente. Na verdade ainda pago, se tem algo que sou é ingênuo, pensei que haveria um público amadurecido para encarar meus rompantes de fúria, me enganei e acho que isto de alguma forma me estigmatizou. Hoje já não me importa mais.
Muitos importantes nomes dos quadrinhos alternativos passaram por esta publicação.
O que me leva a abordar o assunto é que aquelas histórias pesadas (na sua maioria) da El Víbora, são extremamente atuais, e ao compara-las com o que se vê hoje, dá uma puta saudade, vejo muito brilhantismo mas pouca ousadia. O mundo gira, estamos numa época de alta tecnologia e temos que nos adaptar aos novos tempos, as hqs evoluíram, são como todas as artes, o reflexo do seu tempo, e eu ainda não me sinto muito a vontade no mundo atual.
Teria mais para comentar mas infelizmente o tempo curto me impede, eu encerro dizendo que não estava ligado na El Víbora a muito tempo, parece que a revista parou em 2005, mas acho que a morte do seu fundador encerra definitivamente um ciclo. Pior para os inconformados.


2 comentários:

  1. Puxa, que poxa!!!!!! Eu adorava El Vibora! Triste noticia. Mas como vc mesmo escreveu, tem sempre uma ma' e uma boa noticia... Abre seu e-mail pra ver a boa!

    ResponderExcluir
  2. Grande Bira!
    Adorei a caricatura. Brigadão. Aliás, ela será o tema da minha postagem hoje a noite aqui no blog.
    Forte abraço.

    ResponderExcluir